São Serapião. Mártir

Nasceu em Londres em 1179. Ainda criança, participou com seu pai da terceira Cruzada de Ricardo Coração de Leão. Depois de várias peripécias, entrou para a Ordem dos Mercedários, dedicando-se ao resgate e à conversão de escravos na França, Espanha e Argel. Foi o primeiro membro da Ordem de Nossa Senhora das Mercês para a redenção dos fiéis cativos e a pregação da fé cristã que mereceu a palma do martírio.

A vida deste santo encerra um capítulo da história europeia, pois que sua aventura humana e espiritual reflete os fatos de sua época, nos quais esteve presente.

Filho de um capitão inglês a serviço do rei Henrique II, em 1190 participou com o pai da terceira cruzada, sob o comando do célebre Ricardo Coração de Leão. No regresso, foi feito prisioneiro das tropas do duque da Áustria.

O Duque gostou dele e o tomou a seu serviço na expedição de ajuda ao rei da Espanha contra os mouros. Quando chegaram, a batalha havia terminado. Serapião conseguiu então ficar a serviço do rei Afonso de Castela, para voltar novamente à Áustria, quando o duque tomou parte na quinta cruzada. Neste ponto se encerra sua aventura militar.

Conhece São Pedro Nolasco, o fundador dos mercedários, e decide se juntar a ele para se dedicar ao resgate dos escravos. Para sua primeira missão pacífica dirige-se com são Raimundo Nonato a Argel. Conseguem libertar 150 escravos. E como tinha aprendido a arte da guerra, teve o encargo de seguir as tropas espanholas na conquista das Baleares com a missão de fundar nessas ilhas o primeiro convento de sua ordem.

Em seguida, dirigiu-se à Inglaterra a fim de erigir um posto avançado da ordem, porém, a o navio foi assaltado por corsários, Serapião barbaramente espancado e lançado em uma praia deserta porque considerado morto. Recolhido por alguns pescadores, refez-se e pouco depois prosseguiu a viagem para Londres, onde não teve vida fácil.

Voltou à Espanha e prosseguiu na obra caritativa de resgate dos prisioneiros, até que os mouros voltaram sua raiva contra ele: crucificaram-no numa cruz de santo André e, depois de atrozes torturas, decapitaram-no em 1240.

Seu culto foi confirmado em 1728.

São Serapião, rogai por nós!

Oração – “Ó Glorioso São Serapião, que suspenso na cruz exclamáveis: “desejo ser desatado e estar em Cristo, salva-me cruz preciosa, leva-me a Meu Mestre, por ti Me receba quem por ti Me resgatou”. Humildemente vos suplico me obtenhais a paciência e conformidade nos padecimentos desta vida e a salvação eterna. Amém.

 

 

 

Com São Lourenço, Bispo