São Raimundo Nonato, Bispo

Extraído vivo do seio da sua mãe sem vida, recebeu sobrenome de Nonato, ou seja, “não nascido”.

Ingressou, com 24 anos, na Ordem dos Mercedários, destinada ao resgate de cativos e ofereceu-se voluntariamente para ficar escravo entre os mouros, a fim de permitir a libertação de um católico que estava periclitando na fé.

Visava também exercer seu ministério entre os demais pobres cativos e, mais ainda, pregar a Religião católica aos próprios maometanos. Para impedi-lo de pregar, os mouros furaram-lhe os lábios com um ferro quente, e mantinham sua boca fechada com um cadeado.

Passou oito meses prisioneiro, sofrendo atrozmente. Depois de libertado, foi nomeado cardeal, em reconhecimento pelos seus méritos.

Faleceu com apenas 36 anos.É por isso invocado como padroeiro das parturientes e das parteiras.

São Raimundo Nonato, rogai por nós!

Oração – Rogo vossa proteção a fim de que me alcanceis de Deus todas as graças de que necessito, auxílio nas tentações e misericórdia na fragilidade; principalmente a graça de uma boa morte, para convosco ir gozar e louvar a Deus por todos os séculos dos séculos.

Raimundo tem origem a partir do germânico Ragnemundus, formado pela união dos elementos ragin, que significa “conselho”, e mundo que quer dizer “proteção”

 

 

Com Santos José de Arimateia e Nicodemos, que acolheram o corpo de Jesus descido da cruz, o envolveram num lençol e colocaram no sepulcro. José, nobre decurião e discípulo do Senhor, esperava o reino de Deus; Nicodemos, fariseu e príncipe dos Judeus, viera de noite ter com Jesus para conhecer a sua missão e, perante os sumos sacerdotes e os fariseus que queriam prender Jesus, defendeu a sua causa.

 

Jerusalém, comemoração dos santos José de Arimateia e Nicodemos, que acolheram o corpo de Jesus descido da cruz, o envolveram num lençol e colocaram no sepulcro. José, nobre decurião e discípulo do Senhor, esperava o reino de Deus; Nicodemos, fariseu e príncipe dos Judeus, viera de noite ter com Jesus para conhecer a sua missão e, perante os sumos sacerdotes e os fariseus que queriam prender Jesus, defendeu a sua causa.

Atenas, na Grécia, Santo Aristides, filósofo, ilustríssimo pela sua fé e sabedoria, († c. 150);

Tréveris, na Gália Bélgica, atualmente na Alemanha, São Paulino, bispo e mártir, que no tempo da heresia ariana foi um verdadeiro arauto da verdade e, no Sínodo de Arles, convocado pelo imperador Constâncio, não se deixou demover, nem com ameaças nem com adulações para condenar Santo Atanásio e afastar-se da verdadeira fé; por isso foi desterrado para a Frígia, na hodierna Turquia, onde, depois de cinco anos de exílio, consumou o martírio, († 358);

Lindisfarne, na Nortúmbria, na atual Inglaterra, Santo Aidano, bispo e abade, († 651);

Cardona, povoação da Catalunha, na Espanha, São Raimundo Nonato, um dos primeiros companheiros de São Pedro Nolasco, († c. 1240);

Vallúcola, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato André de Borgo Sansepolcro, presbítero, († 1315);

Almeria, na Espanha, os beatos Edmígio (Isidoro Primo Rodríguez);, Amálio (Justo Zariquiégui Mendoza); e Valério Bernardo (Marciano Herrero Martínez);, mártires, († 1936);

Málaga, também na Espanha, os beatos mártires Henrique Vidaurreta Palma, presbíteroFélix Paco Escartin, presbítero e Tomás Alonso Sanjuán, religioso, († 1936);

Sama de Langreo, cidade das Astúrias, também na Espanha, os beatos mártires Isidro Ordoñes Díez, José Maria Palácio Montes e Miguel Menéndez Garcia, presbíteros e Cristóvão Iturriaga-Echevarria Irazola e Pedro Vega Ponce, religiosos, († 1936);

Barcelona, também na Espanha, a Beata Josefina Sauleda Paulís (Boaventura Sauleda Paulís);, virgem e mártir, († 1936);

Barcelona, o Beato Pedro Tarrés Claret, presbítero, († 1950);