São Paulo Miki, Presbítero e Companheiros, Mártires

O Japão recebeu a fé cristã por meio de São Francisco Xavier, entre 1549-1551. Após algumas décadas de cristianismo, o número de fiéis atingia 300.000. Essa rápida expansão deveu-se a dois fatores: o respeito que os missionários jesuítas tinham para com o modo de vida dos japoneses e as crenças nipônicas que não eram de todo opostas ao cristianismo. Foi preciosa a colaboração dos elementos nativos.

Paulo Miki, nasceu em 1564, de uma família abastada, tornou-se catequista. Admitiram a sua ordenação sacerdotal, pois a única diocese de Fusai ainda não havia recebido seu Bispo.

Alguns franciscanos espanhóis, guiados pelo Padre Pedro Batista, chegaram ao Japão através das Filipinas e foram bem acolhidos pelo imperador. Mas, pouco depois, por animosidade para com os espanhóis e os ocidentais deu-se a ruptura.

No dia 9 de dezembro de 1596 foram presos seis Franciscanos. Em seguida alguns terciários e catequistas (Paulo Suzuki) tiveram a mesma sorte.

Todos estes foram expostos a humilhações e arrastados de Meaco a Nagasaki para serem alvo de zombaria por parte do povo. Eram vinte e seis. O povo admirou a coragem que demonstravam. Foram crucificados sobre uma colina de Nagasaki no dia 5 de Fevereiro de 1597.

Particularmente emocionantes foram as palavras de perdão e de testemunho evangélico pronunciadas por Paulo Miki, a serenidade e coragem de Luís Ibaraki (de 11 anos), de António (13 anos) e de Tomás Cosaki (14 anos) que morreram entoando o salmo: “Meninos louvai ao Senhor…”

São Paulo Miki e Companheiros, rogai por nós!

Oração – Bendito seja Deus, que concedeu a São Paulo Miki e seus companheiros o grande dom da firmeza apostólica. Concedei-me ser sempre um corajoso apóstolo de vossos caminhos. Amém.

Paulo: Significa “pequeno”, “de baixa estatura”. O nome Paulo tem origem no latim Paullus, a partir de paullo, que quer dizer “pequeno” ou “baixo”.

 

Com São Gastão, Bispo, que, enviado por São Remígio, Bispo de Reims, catequizou o rei Clóvis.