São Narciso, Bispo

Segundo Eusébio, era natural da Palestina e foi o 15º bispo de Jerusalém, eleito em 189.

Presidiu ao concílio de Cesareia (197) e encabeçou a lista de assinaturas de uma carta que o episcopado da Palestina enviara ao papa S. Vitor. Nesta carta, os bispos declaravam observar os rito e usos da Igreja romana.

Contam que certa vez fora acusado de um crime que não cometera. Os caluniadores confirmaram por falsos juramentos a acusação. O primeiro dissera que se estivesse mentindo que o queimassem vivo. Já o segundo chamou sobre si a praga de lepra, se o que havia dito não fosse verdade. Por fim, o terceiro jurou pela luz de seus olhos que estava falando a verdade.

Narciso ficou muito desgostoso e resolveu deixar a cidade secretamente. Foi para o deserto de Nítria, onde viveu oculto durante 8 anos. Aconteceu, então, que abateu sobre os caluniadores o mal que cada um havia arrogado sobre si: o primeiro morreu queimado; o segundo foi consumido pela lepra; e o terceiro ficou cego.

Voltando a Jerusalém resolveu reassumir juntamente com o Bispo Górdio o pastoreio de sue rebanho. Morreu por volta de 212, aos 116 anos de idade.

Em pleno acordo com o Papa São Vítor acerca da data da celebração da Páscoa cristã, afirmou que o mistério da Ressurreição do Senhor não podia celebrar-se senão no domingo.

São Narciso, rogai por nós!

Oração – Onipotente e poderoso Senhor, que destes a São Narciso muita luz para guiar o rebanho de Cristo na cidade de Jerusalém, mandai o vosso Espírito Santo para nos guardar e mostrar os caminhos que levam a vós. E pela intercessão de São Narciso, concedei-nos a graça que vos pedimos. Por Cristo Nosso Senhor, amém!

 

 

Com Santo Honorato, bispo, que foi discípulo de Santo Eusébio no mosteiro, seu companheiro no cárcere e sucessor nesta sede episcopal. Teve o privilégio de administrar o viático a Santo Ambrósio.