São Martinho I, Papa, Mártir

A sua terra natal era Todi e na Igreja Romana era diácono, mas o seu grande feito seria o de substituir o então Papa Teodoro em 13 de maio de 649. Cedo provou ser de linha dura tendo mão forte no governo onde inclusive não aguardou o consentimento da sua eleição pelo então Imperador Constante II.

Por disputas políticas das quais Martinho participou de modo a incomodar o Imperador com a sua atitude, este último ordenou que o exarca de Ravena de nome Olímpio assassinasse Martinho a meio da celebração de uma missa em que ambos estavam presentes, mas ao tentar cravar o punhal, Olímpio foi atingido por uma intensa luz que o cegaria totalmente. Este acontecimento convenceu o próprio Olímpio da santidade que esteve disposto a matar, deste modo mudou de atitude e tentou a reconciliação com o santo.

O Imperador sabendo da morte em 653 de Olímpio conseguiu concretizar a sua vingança com o mais novo exarca que seria Teodoro de Calíopa que prende o Papa. Neste momento a acusação era a de Martinho ter-se apropriado ilegalmente do cargo de Papa e assim inicia o seu longo período de martírio e dor, onde se somaram as piores calamidades. Ao longo de todo esse sofrimento tentava manter a vontade do corpo mas por fim foi aprisionado e submetido à falta de comida que o enfraqueceria até a morte em 13 de Abril de 656.

São Martinho I, rogai por nós!

Oração – Ó Deus que destes ao Vosso Servo, S. Martinho I a Graça da fidelidade, até o fim de sua vida, concedei-me ser sempre perseverante e fiel a Vos e a Santa Igreja. Amém.

Martinho: Significa “guerreiro” ou “dedicado ao Deus Marte”. Martinho é o diminutivo de Martim, assim como pode ser considerado o diminutivo de Marte – o deus romano da guerra. A origem é o nome em latim Martinus.

Com Santo Hermenegildo, Mártir, que, sendo filho do Rei ariano Leovigildo, se converteu à fé católica por obra do Bispo São Leandro.