São Marcelo, Centurião.

Centurião, pai dos santos mártires Cláudio, Lupércio e Vitório, que, no dia do aniversário do imperador, enquanto todos ofereciam os sacrifícios, tirou o cinturão militar, as armas e a própria patente e atirou-os para diante dos ídolos, afirmando que era cristão e não podia continuar a obedecer coerentemente ao juramento militar, mas só a Jesus Cristo; por isso sofreu o martírio, sendo imediatamente decapitado.

Manílio Fortunato, ao seu querido Agricolano, saudações. Quando celebramos o dia tão bem-aventurado e tão jubiloso para todo o universo do próprio nascimento de nossos Augustos e Césares, eu te informo, Senhor Aurélio Agricolano, que Marcelo, centurião ordinário, presa de não sei que loucura, despojou-se espontaneamente do seu boldrié e achou bom arrojar diante das tropas de nossos senhores a espada e a cepa que trazia. Vi-me, então, na necessidade de enviar o caso à tua jurisdição, e de te conduzir o inculpado.

Agricolano concluiu:

– O caso de Marcelo é o dos que sanciona a disciplina. Ouvimos que Marcelo, que servia na qualidade de centurião ordinário, publicamente repudiou, e em termos infamantes, o juramente militar, e que, ademais, como consta da ata do governador, valeu-se de palavras furiosas; fica, pois, decidido que será castigado pela espada.

Quando o levavam para o suplício, o mesmo Marcelo disse:

– Agricolano, Deus te abençoe!

Era bem assim que Marcelo, o mártir glorioso, devia deixar o mundo.

Cassiano, um oficial chamado para redigir a ata da rebeldia, recusou-se a fazê-lo e, como Marcelo, jogou fora a pena, e foi martirizado.

São Marcelo, Centurião, rogai por nós!

Oração – Pai Celeste, doador da vida e da santidade, dignai-me receber o dom da fé e viver a serviço do Vosso Evangelho. Faça com que eu seja um cristão honesto e combativo e aprenda de são Marcelo o valor da fidelidade a Vós.  Amém.

Marcelo: Significa “pequeno guerreiro”, “jovem guerreiro” ou “pequeno marcial”. Forte e imponente, o nome masculino Marcelo surgiu a partir de um nome de família romana na Antiguidade. Ele tem origem a partir do latim Marcellus

 

 

Com São Germano, Bispo, que é mencionado pelo Papa São Gregório Magno nos seus escritos.

 

1. Em Siracusa, na Sicília, região da Itália, São Marciano, que é considerado o primeiro bispo desta cidade, († s. II)

2. Comemoração de São Serapião, bispo de Antioquia, célebre pela sua erudição e doutrina, que deixou grande fama de santidade, († c. 211)

3. Em Alexandria, Egito, Santa Eutrópia, mártir, por ter recusado negar a Cristo, foi cruelmente torturada até à morte, († c. s. III)

4. Em Tânger, Mauritânia, Marrocos, paixão de São Marcelo, centurião, que, no dia do aniversário do imperador, enquanto todos ofereciam os sacrifícios, tirou o cinturão militar, as armas e a própria patente e atirou-os para diante dos ídolos, afirmando que era cristão e não podia continuar a obedecer coerentemente ao juramento militar, mas só a Jesus Cristo; por isso foi imediatamente decapitado, († 298)

5. Em Leão, Hispânia, santos Cláudio, Lupércio e Vitório, mártires, na perseguição de Diocleciano, († c.303/304)

6. Em Cuma, na Campânia, região da Itália, São Máximo, mártir, († c. 303)

7. Em Cápua, também na Campânia, São Germano, bispo, que é mencionado pelo papa São Gregório Magno nos seus escritos, († c. 540)

8. Em Potenza, na Lucânia, hoje na Basilicata, região da Itália, São Gerardo, bispo, († 1122)

9. Em Cividale del Friúli, na Venécia, hoje na Friúli-Venézia Giúlia, região da Itália, a Beata Benvinda Boiáni, virgem, das Irmãs da Penitência de São Domingos, que passou toda a sua vida entregue à oração e à austeridade, († 1292)

10. Em Winchester, na Inglaterra, o Beato João Slade, mártir, que, por negar a competência da rainha Isabel I nas questões espirituais, foi enforcado e cruelmente esquartejado, († 1583)

11. Em Limerick, na Irlanda, a paixão do Beato Terêncio Alberto O’Brien, bispo e mártir, da Ordem dos Pregadores, que, nomeado para a sede da Igreja de Emily, trabalhou intensamente na assistência aos afetados pela peste; mas, sob o regime de Oliver Cromwell, foi preso pelos soldados e levado ao patíbulo em ódio ao sacerdócio e à fé católica, († 1651)

12. Em Ácri, na Calábria, região da Itália, o Beato Ângelo, presbítero da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, que percorreu incansavelmente o reino de Nápoles a pregar a palavra de Deus de modo apropriado ao povo simples, († 1739)

13. Em Angers, França, o Beato João Miguel Langevin, presbítero e mártir, degolado por ser sacerdote, o primeiro dos cerca de cem homens e mulheres que, na época do terror na Revolução Francesa, permaneceram unânimes e constantes na confissão da fé em Cristo até à morte, († 1793)

14. Em Dolinka, perto de Karaganda, no Cazaquistão, o Beato Aleixo Zaryckyj, presbítero e mártir, que, sob um regime hostil a Deus, foi deportado para um campo de concentração e no combate da fé alcançou a vida eterna, († 1963)