São Luciano e São Marciano, Mártires

Diz-se que Luciano e Marciano eram mágicos e tanto davam fórmulas para o êxito no amor como no ódio, conforme o desejasse o consulente.

Certa vez, procurava alguém fazer mal a uma virgem consagrada a Deus. Todos os sortilégios foram em vão, e o próprio demônio, manifestando-se aos dois, avisou-lhe de que era inútil prosseguir, porque a jovem tinha a defesa de Nosso Senhor, ao qual tudo estava sujeito.

Sem titubear, queimaram todos os livros de magia que possuíam e procuraram instruir-se para receber aquele batismo que muitos buscavam às escondidas.

Ambos se retiraram ao deserto, depois de batizados, e, da solidão, às vezes saiam para pregar o Evangelho.

Ora, alguns pagãos, inconformados com aquela reviravolta, não tardaram a denunciá-los ao pro cônsul Sabino. Era, então, no princípio da perseguição que o imperador Décio empreendia.

Enquanto eram conduzidos ao lugar de execução, os dois rendiam graças a Deus, a uma só voz, dizendo:

A ti, Senhor Jesus, nossos louvores imperfeitos, a ti, que nos tiraste, vis e celerados, do erro dos pagãos, para nos conduzires a este suplício glorioso, a fim de que rendêssemos glória ao teu nome e entrássemos na companhia dos teus santos. A ti o louvor, a ti a glória, a ti também a nossa alma e o nosso espírito.

Quando acabaram de pronunciar a oração, os carrascos atearam o fogo, e assim, os veneráveis mártires terminaram o combate e mereceram participar da Paixão de Jesus Cristo.

São Luciano e São Marciano, rogai por nós!

Oração – Santos Luciano e Marciano, que resististes às promessas do mundo feitas pela autoridade pagã, ajudai-nos, não só a sermos firmes na fé, mas que tenhamos ela sempre aumentada. Amém!

 

 

Com São Ceda, irmão de São Ceada, que foi ordenado bispo dos Saxões orientais por São Finano e lançou entre eles os fundamentos da Igreja.