São Canuto, Rei, Mártir

São Canuto, Rei, Mártir

Canuto nasceu no ano de 1040 na Dinamarca. Filho de um rei e sucessor natural. Mas pela sua vida de oração,  testemunho, caridade e justiça, quando o pai faleceu colocaram seu irmão no trono de maneira injusta. Ele, então, esperou e depois do falecimento do irmão, ocupou o seu lugar que era de justiça.

Revelou desde criança uma índole bem diferente da dos companheiros: tudo que era trivial e baixo, lhe desagradava. Amigo da oração e em tudo se deixava guiar pelo temor de Deus.

Quando a divina Providência lhe depositou nas mãos os destinos da nação, seu primeiro cuidado foi trabalhar pela cristianização de seu povo e dos outros povos que estavam sujeitos ao seu cetro.

Homem de Deus, um sinal para o povo, contribuiu para a evangelização, sobretudo, com o seu exemplo, pois acreditava que a melhor forma de educar uma nação é o bom exemplo.

Ele viveu para sua esposa e para seu filho Carlos, que mais tarde se tornaria também um santo. Pai santo, esposo santo, governador, homem que usou seus poderes para servir, tendo como modelo Nosso Senhor Jesus Cristo. Nele, batia um coração que se assemelhava ao de Jesus.

São Canuto, foi amado por muitos e odiado, também, por muitos.

Como Rei, teve muitos desafios e ao perceber que os inimigos estavam se armando, participou de uma Eucaristia como era de costume. Nela, ele não só recebeu Nosso Senhor, mas, o Céu, tendo antes, em nome de Jesus, perdoado os seus inimigos que o assassinaram.

 

São Canuto, Rei, rogai por nós!

Com São Pedro Vincioli, Abade, Bispo