São Caetano de Thiene, Presbítero, Fundador

São Caetano de Thiene, Presbítero, Fundador

 

A Casa Thiene é ilustre por sua antiguidade, nobreza, alianças e cargos militares.

A mãe, o ofereceu à Virgem Santíssima ao nascer e o pôs nas mãos de sua imagem. O menino mostrou-se digno da augusta padroeira, por sua piedade, modéstia, amor à oração. Mas nada era tão admirável como sua ternura para com os pobres.

Desde aquela época ele já era chamado de santo.

Depois das letras humanas, estudou filosofia com tanto êxito quanto ardor. Tendo, em seguida, começado a estudar direito civil e direito canônico, foi recebido como doutor em um e outro e mais tarde em Teologia.

Após ter sido ordenado sacerdote, fundou em Roma a Congregação de Clérigos Regulares, chamados Teatinos, para a renovação da Igreja.

Dedicou-se piedosamente a obras de caridade, especialmente em favor dos enfermos incuráveis.

Promoveu associações para a formação religiosa dos leigos, especialmente pela vida de oração e pela prática da caridade.

Caetano. Morreu em Nápoles no ano 1547.

 

Memória dos santos Sisto II, papa, e companheiros, mártires. O papa São Sisto, quando celebrava os santos mistérios e ensinava aos irmãos os mandamentos celestes, por força do edito do imperador Valeriano foi inesperadamente preso pelos soldados e degolado no dia seis de Agosto; com ele sofreram o martírio quatro diáconos, que foram sepultados com o pontífice em Roma, no cemitério de Calisto, junto à Via Ápia. No mesmo dia também os santos Agapito e Felicíssimo, seus diáconos, padeceram o martírio no cemitério de Pretextato, onde também foram sepultados.

Santos Sisto II e Caetano de Thiene, rogai por nós!

Oração – Por intercessão de São Caetano e de São Sisto, fazei Senhor, que a Santa Igreja resplandeça em todo seu esplendor. Amém

 

Com São Donato, Bispo de Besançon, compôs uma Regra para as Virgens segundo os ensinamentos dos santos Bento, Columbano e Cesário

Augsburgo, na Récia, actualmente na Alemanha, Santa Afra, mártir, († 304)

Arezzo, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, São Donato, bispo, († s. IV)

Chalons, na Gália Bélgica, hoje na França, São Donaciano, bispo, († s. IV)

Ruão, também na Gália Bélgica, hoje na França, São Vitrício, bispo, († c. 410)

Besançon, na Borgonha, também na actual França, São Donato, bispo, que compôs uma Regra para as Virgens segundo os ensinamentos dos santos Bento, Columbano e Cesário, († d. 658)

Venécia, hoje na região do Véneto, na Itália, o Beato Jordão Forsaté, abade, († c. 1248)

Messina, na Sicília, região da Itália, Santo Alberto dégli Abbáti, presbítero, converteu muitos judeus a Cristo, († c. 1306/1307)

Sassoferrato, no Piceno, hoje nas Marcas, Itália, o Beato Alberto, monge, († 1350)

L’Áquila, no território dos Vestinos, Itália, o Beato Vicente, religioso, († 1504)

Gondar, na Etiópia, os beatos Agatângelo de Vendôme (Francisco Nourry) e Cassiano de Nantes (Gonçalo Vaz Lopes-Neto de Nantes), presbíteros e mártires, († 1638)

Lencastre, na Inglaterra, os beatos Martinho de São Félix (João Woodcock), Eduardo Bamber e Tomás Whitaker, presbíteros e mártires, († 1646)

York, também na Inglaterra, o Beato Nicolau Postgate, presbítero e mártir, († 1679)

Gorka Duchowna, Poznam, na Polónia, o Beato Edmundo Bojanowski, († 1871)

Colima, no México, São Miguel de la Mora, presbítero e mártir, († 1927)

Los Yébanes, próximo de Toledo, na Espanha, os beatos Teodósio Rafael (Diodoro López Hernando), Carlos Jorge (Dalmácio Bellota Pérez) e Eustáquio Luís (Luís Villanueva Montoya), religiosos da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártires, († 1936)