São Bernardino Realino

São Bernardino Realino, Presbítero

Bernardino nasceu em Capri (Itália) em 1530. Seu pai era militar a serviço de um príncipe de Gonzaga.

Principiou os estudos em Carpi, continuou-os em Módena e finalizou-os em Bolonha, graduando-se em Direito Civil e em Direito Canônico.

Foi prefeito de Felizzano de Monferrato, advogado fiscal em Alexandria, depois prefeito de Cassine, prefeito de Castel Leone e, finalmente, auditor e lugar-tenente de Nápoles. Todavia abandonou tudo, pois, quando doente, recebeu a aparição de Nossa Senhora carregando o Menino Jesus nos braços.

Alegre e inclinado à beneficência, entrou para o noviciado dos jesuítas aos 34 anos.

Por 10 anos trabalhou em Nápoles pregando, catequizando, dedicando-se aos doentes, aos pobres e aos encarcerados.
Ainda em vida foi nomeado padroeiro da cidade de Lecce. “Grande é nossa dor, pai amado, ao ver que nos deixais, pois nosso mais ardente desejo seria que permanecêsseis sempre conosco. Não querendo, contudo, opor-nos à vontade de Deus, que vos convida para o céu, desejamos pelo menos encomendar-vos a nós mesmos e a toda esta cidade tão amada por vós e que tanto vos tem amado e reverenciado. Assim o fareis, ó pai, pela vossa inesgotável caridade, a qual nos permite esperar que queirais ser nosso protetor e patrono no paraíso, pois já por tal vos elegemos desde agora e para sempre, seguros de que aceitareis por fiéis servos e filhos…” (documento ido pelo Prefeito da cidade).
Com esforço respondeu o padre: “Sim, senhores”.
Tinha dedicado mais da metade da sua longa vida como padre, à cidade de Lecce. Desde a mais alta nobreza até os últimos esfarrapados, não havia quem não o conhecesse como apóstolo e benfeitor da cidade.
Possuindo o dom da cura e do conselho, era procurado por bispos e príncipes que desejavam sua iluminada orientação. O próprio Papa Paulo V, assim como diversos soberanos, lhe escrevia, pedindo orações.

Também Padroeiro da cidade de Capri. Morreu aos 86 anos e em 1947 foi canonizado por Pio XII.

 

São Bernardino Realino, rogai por nós!

Com Santos Processo e Martiniano, Mártires Romanos