São Berardo, Presbítero e Companheiros, Mártires

Em 1219, S. Francisco de Assis enviou em missão para Marrocos seis dos seus mais destemidos frades menores, apaixonados do Evangelho, precursores de todos os missionários portugueses, lançados ao mar tenebroso e à conquista dos povos para Cristo obedecendo ao mandato do Infante de Assis em serviço do Rei dos reis, Jesus Cristo. Vital, Berardo, Otão (sacerdotes), Pedro (Diácono), Acúrsio e Adjuto (Leigos).

Foram recebidos em Coimbra pela de Portugal. Continuaram para Alenquer onde se apresentaram à infanta Beata Sancha, irmã do rei D. Afonso II, fundadora do primeiro convento franciscano em Portugal.

Em Sevilha foram à mesquita, precisamente no dia em que os mouros festejavam Maomé e começaram a pregar a doutrina de Jesus e denunciando que o profeta Maomé não passava de uma idolatria. Corridos à pancada para fora da mesquita, passaram a Marrocos, onde começam a percorrer as ruas pregando o nome de Jesus e, quando vêem aproximar-se o Miramolim Aboidil, com mais ânimo continuaram a proclamar a mensagem cristã. O Miramolim mandou-os prender e ficaram numas masmorras vinte dias sem comer nem beber.

Uma vez libertos, apressaram-se em retomar a sua missão. Decretada mais uma vez a sua morte, o Sultão encarrega o seu filho Abosaide de os prender e decapitar. É chegado então, e definitivamente o momento tão desejado por estes frades, finalmente o martírio pelo nome de Jesus iria por fim acontecer. Foi realmente uma morte violenta a destes cinco frades. São açoitados e, atados de mãos e pés, arrastam-nos de um lado para o outro com cavalos em seguida, sobre seus corpos descarnados deixam cair azeite a ferver, continuando depois a arrastá-los pelo chão mas desta vez sobre vidros e cacos espalhados pelo chão.

O Miramolim ainda os tentou com dinheiro e mulheres. Mas não havia nada a fazer e o miramolim dizia então que só a espada poderia calar aqueles homens decididos e firmes no que diziam.

“O nossos corpos miseráveis estão nas tuas mãos sob a tua autoridade, mas as nossas almas estão nas mãos de Deus. Com a sua ira no limite, o miramolim pegou na sua cimitarra a acabou com a vida daqueles cinco frades, rachando-lhes o crânio ao meio e depois decepando-lhes as cabeças.

Era o ano de 1220. Cedo acabou a tarefa missionária daqueles cinco frades, mas a sua voz continua a ecoar por toda a terra e a sua mensagem até aos confins do mundo.
Os Mártires de Marrocos foram canonizados pelo Papa Sisto IV em 1481.

São Berardo e Companheiros, rogai por nós!

Oração – Ó Deus, que consagrastes os primórdios da Ordem dos Menores pelo glorioso martírio dos vossos santos mártires Berardo e seus companheiros, concedei que possamos viver firmes na fé, como eles não hesitaram em morrer por vosso amor. Amém.

Berardo é, na verdade, uma versão de Beraldo, nome com origem germânica que significa domador de urso

 

Com São Marcelo I, Papa