Santo Osvaldo, Rei

Filho do rei pagão da Nortumbria e da princesa Acha.

Com a invasão do reino, Acha e seus onze filhos fugiram para a Corte do rei da Escócia, onde todos se converteram. As crianças foram entregues aos cuidados dos beneditinos do Mosteiro de Iona e receberam sólida formação acadêmica e religiosa, adequada aos fidalgos no seguimento de Cristo.

Osvaldo destacava-se pelo belo porte físico, pela inteligência e pela caridade cristã. Tinha um sorriso franco, era bom e generoso, não distinguindo ricos e pobres. Era um hábil e capacitado estrategista militar, treinado pelo pequeno, mas potente exército do rei da Escócia, que muito o apreciava.

Curioso mesmo era o seu animal de estimação: um falcão que lhe obedecia e pousava-lhe na mão.

Quando o rei invasor morreu, Osvaldo formou seu exército, pequeno e eficaz, e venceu a famosa batalha de Havenfield, em 634. Assumiu o trono como legítimo rei da Nortumbria.

Contam os registros históricos que antes desse combate ele teve uma visão de são Columbano, que o orientou a rezar junto com seus soldados antes de partir para o combate. Ele obedeceu. Mandou erguer uma grande cruz no centro do campo onde estavam, ajoelhou-se diante dela, pedindo aos soldados, quase todos pagãos, que fizessem o mesmo. Assim postado, com fé e humildade, o futuro rei pediu a Deus proteção e liberdade para seu povo oprimido pelos inimigos.

O rei Osvaldo sempre atribuiu essa vitória à intercessão de são Columbano e à proteção de Cristo. Depois de coroado, todo o exército se converteu.

Mandou chamar os monges escoceses do Mosteiro de Iona para pregarem o Evangelho no seu reino e ele mesmo traduzia para o povo os sermões, conseguindo muitas conversões.

Construiu igrejas, mosteiros, cemitérios, hospitais, asilos e creches, distribuiu riquezas e promoveu prosperidade e caridade ao povo.

Casou-se com a princesa Cineburga, filha do rei pagão de Wessex, hoje também Inglaterra. Em seguida, convenceu o sogro a permitir uma missão evangelizadora de monges escoceses no seu reino, que acabaram convertendo esse rei também.

A Igreja deve à fé do rei Osvaldo o grande impulso para a evangelização do povo inglês e o estabelecimento da vida monástica na ilha britânica.

Morreu em combate em 642, defendendo o seu povo de invasores pagãos.

Depois, o venerável Beda, monge famoso pela santidade e sabedoria na doutrina, reivindicou o título de mártir a Osvaldo da Nortumbria, por ter morrido em combate contra os pagãos.

Sua festa é uma tradição antiga, e a Igreja manteve a celebração no dia 5 de agosto.

Santo Osvaldo, Rei, rogai por nós!

 

 

Com Santa Nonna, esposa de Gregório o Velho e mãe dos santos: Gregório de Nazianzeno, Cesário e Gorgônia.