Santo Inácio de Loyola, Fundador

Nobre espanhol, converteu-se aos 30 anos de idade, depois de uma breve, mas brilhante carreira nas armas.

Não se cansava de admirar nos santos o amor da solidão e da cruz. Dizia para si mesmo: Como! E se eu fizesse o que fez São Francisco? E então? Se eu fizesse como um São Domingos? Aspirava sempre a coisas difíceis e grandes e parecia-lhe que tinha forças para isso, por este único motivo: São Domingos o fez, então eu o farei também.

Alma profundamente militar, quis dotar a Igreja de uma milícia nova, aguerrida e disciplinada, para a defesa da glória de Deus e a conquista das almas.

Pôs-se à obra, pois era preciso que todos os corações O amem e que todas as línguas O bendigam. Saiu da solidão, moderou as austeridades, tomou um exterior menos austero e pôs-se a falar aos homens das coisas do céu. Aquelas conversas produziram grande fruto de salvação e muitos pecadores se converteram.

Fundou a Companhia de Jesus.

No século em que o protestantismo arrebatou à religião católica um terço da Europa, Inácio foi sem dúvida o lutador suscitado pela Providência para atender de modo pleno às necessidades da Igreja.

 

 

 

 

Santo Inácio de Loyola, rogai  por nós!

 

 

Com Santo Afonso Rodrigues