Santo Edmundo, Rei, Mártir

Subiu ao trono da Inglaterra no Natal de 854. Segundo consta, era talentoso e foi bem-sucedido, tanto como governante como homem virtuoso. Aprendeu de cor todo o saltério, a fim de poder acompanhar o culto na Igreja e imitar as boas ações do Rei Davi.

Conforme escreveram, no século XV, ele, “em seu reino, era muito religioso e bondoso, cheio de alegria celestial, previdente no aconselhar, e mostrava muitos sinais de graça e de bem-aventurança”.

O seu reinado foi conturbado pelas invasões bárbaras, com grande poder de destruição. Para não tornar-se vassalo de Ivar, chefe bárbaro, decidiu lutar em favor da liberdade de seu povo, mas caiu prisioneiro.

Os invasores ofereceram-lhe a possibilidade de manter sua vida e a coroa caso renegasse a fé e se proclamasse vassalo. O rei rejeitou a proposta por duas vezes. Amarrado a uma árvore, teve o corpo cravejado de flechas e, depois de decapitado, foi atirado para uma floresta.

Contam que procurando a cabeça do rei, os cristãos, para não se dispersarem, gritavam uns para os outros: “Onde estás? Onde estás?” No meio da busca, o rei teria respondido: “Aqui. Aqui. Aqui.” Acorrendo ao lugar, encontraram a cabeça do rei guardada por um lobo que a defendia dos outros animais.

Santo Edmundo morreu em 870

O desaparecimento do rei Edmundo levou ao fim o reino da Est-Anglia. Mas a Inglaterra se fortaleceu sob seu nome, e o jovem Rei morto tornou-se uma bandeira.

A devoção a Santo Edmundo, o Mártir, a princípio, era muito difundida e muito popular na Inglaterra com inúmeras igrejas dedicadas em sua honra No século XIII e em período mais recente, sua festa era dia santo de guarda. Atualmente, celebra-se a sua festa nas dioceses de Westminster e  de Northampton, bem como entre os beneditinos ingleses.

 

Santo Edmundo, rogai por nós!

Oração – Pai de  justiça e bondade, que chamaste São Edmundo para testemunhar a fé no vosso nome e dispuseste toda a vida dele em função da evangelização, daí-nos seguir seus exemplos e nos converter sempre mais ao vosso amor. Por Cristo nosso Senhor. Amém.

Edmundo: Significa “protetor das riquezas”, “protetor rico”. Tem origem no germânico Hedmund, formado pela união dos elementos “ead”, que significa “riqueza, bens” e mundo, que quer dizer “proteção” e significa “protetor das riquezas, protetor rico”.

 

 

Com Beata Maria Fortunata (Ana Félix Víti), da Ordem de São Bento, que exerceu o serviço de roupeira quase toda a sua vida, procurando sempre cumprir de todo o coração os preceitos da Regra.

 

Martirológio Romano

Secretariado Nacional de Liturgia PT

Nov 20

1. Em Antioquia, Turquia, São Basílio, mártir. († s. III)

2. Em Ástigi, Espanha, São Crispim, bispo e mártir. († s. III)

3. Em Doróstoro, Silistra, na Bulgária, São Dásio, mártir. († c. s. IV)

4. Em Turim, na Ligúria, a Itália, os santos Octávio, Solutor e Adventor, mártires. († s. IV)

5. Em Vercelas, Piemonte, São Teonesto, mártir, em cuja honra Santo Eusébio edificou uma basílica. († a. 313)

6. Em Benevento, na Campânia, Itália, São Doro, bispo. († s. V)

7. Em Chalons-sur-Saône, França, São Silvestre, bispo, († c. 520-530)

8. No monte Jura, França, Santo Hipólito, abade e bispo. († c. 770)

9. Em Constantinopla, Turquia, São Gregório Decapolita, monge, anacoreta, peregrino, († 842)

10. Na Inglaterra, Santo Edmundo, mártir, rei dos Anglos orientais, foi capturado na batalha contra os invasores pagãos e, pela sua profissão de fé em Cristo, mereceu ser coroado com o martírio. († 869)

11. Em Hildesheim, Alemanha, São Bernuardo, bispo, que defendeu os seus fiéis das invasões, restaurou a disciplina do clero em numerosos sínodos e promoveu a vida monástica. († 1022)

12. Na Calábria, Itália, São Cipriano, abadei, severo para consigo e generoso para com os pobres e bom conselheiro para todos. († c. 1190)

13. Em Hanoi, Vietnam, São Francisco Xavier Can, mártir, catequista, estrangulado e degolado, († 1837)

14. Em Véroli, no Lácio, região da Itália, a Beata Maria Fortunata (Ana Félix Víti), roupeira,(† 1922)

15. Próximo de Valência, na Espanha, as beatas Ângela de São José (Francisca Lloret Marti) e catorze companheiras, virgens e mártires – uma era superiora geral e as outras religiosas, († 1936)

16. Em Picadero de Paterna, Valênçia, a Beata Maria dos Milagres Ortells Gimeno, virgem e mártir, († 1936)