Santíssimo Nome de Maria

Inicialmente a festa do Santíssimo Nome de Maria era apenas realizada em Cuenca, na Espanha, quando foi instituída em 1513 e comemorada em 15 de setembro. Entretanto em 1587, o Papa Sisto V mudou o dia da celebração para 17 de setembro.

O Papa Gregório XV estendeu a festa para a Arquidiocese de Toledo em 1622. Em 1666 os Carmelitas Descalços receberam a permissão para recitar o Ofício do Nome de Maria quatro vezes por ano (dúplice). Posteriormente, em 1671, a festa foi estendida para toda a Espanha.

Após a vitória dos cristãos, conduzida pelo Rei João III Sobieski, da Polônia, sobre os turcos na Batalha de Viena, em 1683, a festa foi estendida a toda a Igreja pelo Papa Inocêncio XI, e atribuída ao domingo após o Nascimento de Maria.

Santíssimo Nome de Maria, santificai-nos!

Oração – Ó Maria, é verdade que eu não sou digno de proferir o vosso nome; mas vós, que me tendes amor e desejais minha salvação, concedei-me, apesar de minha indignidade, a graça de invocar sempre em meu socorro vosso amantíssimo e poderosíssimo nome.

 

Com São Guido, Confessor – um dos santos mais venerados na Bélgica. Considerado precursor de São Francisco de Assis. Um século após a sua morte, caiu no esquecimento, por muito tempo, mas os prodígios, que se realizavam em torno do seu túmulo, recordaram ao mundo a importância da sua figura.

2. Na Bitínia, na hodierna Turquia, Santo Autônomo, bispo e mártir, († c. s. III)

3. Em Alexandria, no Egito, os santos Crônides, Leôncio e Serapião, († s. III)

4. Em Imlech, cidade da Momônia, província da Irlanda, Santo Albeu, bispo, († c. 528)

5. Em Anderlecht, no Brabante, Bélgica, São Guido, Peregrino, († c.1012)

6. Em Omura, no Japão, os beatos Apolinário Franco e Tomás Zumárraga, presbíteros, e quatro companheiros, mártires, queimados vivos, († 1622)

7. Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, o Beato Pedro Sulpício Cristóvão Faverge, irmão e mártir, durante a Revolução Francesa por ser religioso, († 1794)

8. Em Seul, na Coreia, São Francisco Ch’oe Kyong-hwan, mártir, catequista, († 1839)

9. Em Trévi, cidade da Úmbria, Itália, Maria Luísa (Gertrudes Prósperi), abadessa, dotada de experiências espirituais extraordinárias, († 1847)

10. Em Ruidellots, perto de Gerona, na Espanha, os beatos Emério José (José Plana Rebugent), e Hugo Julião (Julião Delgado Díez), religiosos e mártires, († 1936)

11. Em Manlleu, perto de Barcelona, também na Espanha, o Beato Miguel de Jesus (Jaime Puigferrer Mora), religioso e mártir, († 1936)