Sant’Ana e São Joaquim

Os pais de Maria e avós de Jesus são celebrados juntos desde 1969.

Seus nomes não são mencionados nas Sagradas Escrituras, mas fazem parte de uma antiga tradição cristã do segundo século.

Conforme uma lenda da Idade Média, Joaquim e Ana viviam humilhados porque não tinham filhos. Joaquim dirigiu-se então para o deserto, e ali passou, 40 dias em jejum e oração. Ao terminar os 40 dias, apareceu-lhe um anjo anunciando que teriam um filho. De facto, nasceu-lhes uma filha, à qual deram o nome de Maria.

Nasceu-lhes o Lírio entre os espinhos, a Terra absolutamente intacta, virginal, ilibada, imaculada, sempre abençoada e livre de todo contágio de pecado.

Nasceu-lhes a Co-redentora dos homens, a Medianeira poderosíssima, o Caminho mais seguro e mais fácil para Jesus, a que sofre por nossa causa.

A devoção de Santa Ana ou Sant’Ana remonta ao século VI, no Oriente. No Ocidente data de século X. A devoção a São Joaquim é mais recente
Santa Ana e São Joaquim.

  São Joaquim e Sant’Ana, rogai por nós