Santa Teresinha do Menino Jesus, Virgem, Doutora da Igreja, Padroeira das Missões

Virgem, carmelita, discreta e silenciosa, durante a vida não chamou a atenção sobre si. Parecia uma freira comum, sem nada de excepcional.

Enquanto agonizava, ouviu duas freiras comentarem entre si, do lado de fora de sua cela: “Coitada da Irmã Teresa! Ela não fez nada na vida… O que nossa Madre poderá escrever sobre ela, na circular em que dará aos outros conventos a notícia da sua morte?”

Assim viveu Santa Teresinha, desconhecida até mesmo das freiras que com ela compartilhavam a clausura do Carmelo.

Faleceu aos 24 anos, tuberculosa, depois de passar por terríveis sofrimentos.

Depois de morta seus escritos e seus milagres revelariam ao mundo inteiro a verdadeira envergadura da grande Santa e Mestra da espiritualidade.

A jovem e humilde carmelita que abriu, na espiritualidade católica, um caminho novo para atingir a santidade — a célebre “Pequena Via” –, foi declarada pelo Papa João Paulo II Doutora da Igreja. É Padroeira das Missões e dos Missionários franceses.

Santa Teresinha, Rogai por nós!

Oração – Tu que passas teu Céu fazendo o bem na terra, ajuda-me nesta necessidade e concede-me do Senhor o que te peço, se for para glória de Deus e para o bem de minha alma. Amém.

Terezinha: Significa “natural de Tera”, “pequena habitante de Tera”

 

Com São Nicécio, Bispo de Treveris, que, segundo o testemunho de São Gregório de Tours, era veemente na pregação, terrível na repreensão, consistente no ensino.

 

 

São Romano, Diácono Constantinopla, denominado o Melodioso pela sua arte sublime em compor hinos eclesiásticos em honra do Senhor e dos Santos.

 

2. Em Lisboa, cidade da Lusitânia, atualmente em Portugal, os santos Veríssimo, Máxima e Júlia, mártires, († s. III/IV)

3. Em Séclin, na Gália Bélgica, atualmente na França, São Piatão, presbítero, que é venerado como evangelizador do território de Tournai e mártir, († s. III/IV)

4. Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São Romano, diácono, que foi denominado o Melodioso pela sua arte sublime em compor hinos eclesiásticos em honra do Senhor e dos Santos, († 555/565)

5. Em Tréveris, na Renânia da Austrásia, no território da atual Alemanha, São Nicécio, bispo, que, segundo o testemunho de São Gregório de Tours, era veemente na pregação, terrível na repreensão, consistente no ensino. Sofreu o exílio no tempo de Clotário, rei dos Francos, († 561)

6. Em Gand, na Flandres, região da Nêustria, hoje na Bélgica, São Bavão, monge, que foi discípulo de Santo Amando: deixando a vida secular, distribuiu os seus bens pelos pobres e entrou no mosteiro fundado nesta cidade, († c. 659)

7. Em Condé-sur-l’Escaut, no Hainaut, território da Austrásia, atualmente na França, São Vasnulfo, monge, natural da Escócia, († s. VII)

8. Em Cantuária, na Inglaterra, São Geraldo Edwards, presbítero e mártir, que foi ordenado na França e, tendo regressado à sua pátria durante a perseguição da rainha Isabel I, depois de longo cativeiro consumou o martírio no patíbulo. Com ele foram martirizados o Beato Roberto Wilcox e Cristóvão Buxton, presbíteros, também por serem sacerdotes, e Roberto Widmerpool, por ter ajudado um sacerdote, († 1588)

9. Em Chichester, também na Inglaterra, os beatos Rodolfo Crockett e Eduardo James, presbíteros e mártires, que, formados no Colégio dos Ingleses de Reims, regressando à sua pátria, só por causa do seu sacerdócio foram condenados ao suplício do patíbulo, († 1588)

10. Em Ipswich, também na Inglaterra, o Beato João Robinson, presbítero e mártir, que, sendo pai de família, depois da morte da esposa recebeu em idade avançada a ordenação sacerdotal e por isso recebeu a coroa do martírio, († 1588)

11. Em Nagasáki, no Japão, os beatos Gaspar Hikojiro e André Yoshida, mártires, que, sendo catequistas, foram degolados por terem recebido sacerdotes em suas casas, († 1617)

12. Em Osma, cidade de Castela la Mancha, região da Espanha, o Beato João de Palafox y Mendoza, bispo, († 1659)

13. Em Saronno, próximo de Varese, na Lombardia, região da Itália, o Beato Luís Maria Mónti, religioso, que, embora conservando a sua condição laical, instituiu os Filhos de Maria Imaculada, que orientou para o exercício da caridade em favor dos pobres e necessitados, dedicando-se especialmente à assistência dos enfermos e dos órfãos e à formação dos jovens, († 1900)

14. Em Népi, cidade da província de Viterbo, também na Itália, a Beata Cecília Eusépi, religiosa da Ordem Terceira dos Servos de Maria, († 1928)

15. Em Rotglá y Corbera, localidade da província de Valência, na Espanha, a Beata Florência Caerols Martínez, virgem e mártir, que, em tempo de perseguição contra a fé, mereceu através do martírio a glória da vida eterna, († 1936)

16. Em Villena, localidade da província de Valência, o Beato Álvaro Sanjuán Canet, presbítero da Sociedade Salesiana e mártir, que, durante a mesma perseguição, alcançou a palma da vitória no combate pela fé, † 1936)

17. Em Barcelona, na Catalunha, região da Espanha, em dia incerto de Outubro, os beatos Adolfo Mariano (Mariano Anel Andréu) e Ildefonso Luís (José Casa Lluch), religiosos da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristiãs e mártires, que, durante a mesma perseguição contra a fé, terminaram a sua vida seguindo a Cristo até à morte, († 1936)

18. Em Madrid, também na Espanha, em dia incerto de Outubro, o Beato Manuel Borrajo Míguez, religioso da Sociedade Salesiana e mártir, que, na mesma perseguição, derramou o seu sangue por Cristo, († 1936)