Santa Laura de Santa Catarina de Siena, Monja, Fundadora

Nasci em 1874 em Jericó, na Colômbia. Quando eu tinha 2 anos de idade, meu pai foi morto defendendo o país deixando a família em extrema pobreza. Mandaram-me viver com minha avó. Sofri muito porque eu sentia que tinha ficado “órfã”.

Quando cresci, procurei refúgio em Deus, especialmente através da meditação e da Eucaristia. Aos 16 anos, comecei a

formação para me tornar professora de escola primária a fim de ajudar minha família financeiramente. Eu não ensinava às crianças apenas conhecimento teórico, mas também os valores evangélicos. Enquanto isso, me sentia atraída pela vida religiosa das freiras carmelitas.

Após certo tempo, decidi viver com os índios. Eu era chamada de Madre Laura e ajudei as moças a compreender melhor sua vocação na vida.

Morri em 1949 depois de uma longa enfermidade.

“Uma só dor, e uma só aspiração tinha em minha vida: Deus ultrajado e não conhecido e minha ânsia por dá-lo a conhecer! isso era quanto se agitava em minha alma desolada. Não tinha desolação propriamente minha. Era a desolação de meu Deus desconhecido!. Minha alma ardia no desejo de fazer algo grande porque me Deus fosse conhecido e minha compaixão pelos infiéis se fez muito inferior ao meu desejo de ver a Deus conhecido e amado como Ele merece”

“Ela, a Senhora Imaculada, atraiu-me de tal modo, que já me é impossível pensar sequer em que não seja ela como o centro da minha vida”.

Santa Laura de Santa Catarina de Siena, rogai por nós!

Oração – Deus, Pai misericordioso, que elegeste Santa Laura para despertar na Igreja o sentido missionário, especialmente com os mais necessitados, dá-nos a graça de uma conversão sincera ao Evangelho. Amém!

 

 

 

Com Santa Úrsula e Companheiras, Mártires