Santa Cecília, Virgem e Mártir

Segundo se diz, pertencia a mais antiga nobreza romana. A seu respeito diz a Liturgia das Horas: “O culto de Santa Cecília, em honra da qual no século quinto foi construída em Roma uma Basílica, difundiu-se por causa de sua Paixão (descrição de seu martírio). Nela, Santa Cecília é exaltada como o modelo mais perfeito de mulher cristã, que por amor a Cristo professou a virgindade e sofreu o martírio.

Segundo esta Paixão, ela havia-se consagrado a Deus. No dia das núpcias, participou essa decisão ao marido, dizendo-lhe que um anjo velava noite e dia por ela. Valeriano, seu marido, disse que somente acreditaria se visse o anjo. Santa Cecília aconselhou-o a visitar o Papa Urbano, que se havia refugiado nas catacumbas. Deste encontro resultou a conversão do marido e de Tibúrcio, seu irmão, os quais sofreram o martírio logo depois, por sepultarem os corpos dos mártires.

Santa Cecília recolheu os corpos do esposo e do cunhado e os sepultou na sua propriedade, na via Ápia. Isto lhe valeu o martírio.

Morreu decapitada, por ter sobrevivido à morte por asfixia no caldário (sala aquecida pela passagem de ar quente através de hipocaustos sob o chão e por dutos embutidos nas paredes e munida com banho de imersão).

Foi uma das Santas mais veneradas durante a Idade Média. O seu nome vem citado no Cânon da Missa. Dentre as Santas é a que maior número de Basílicas teve em Roma. A nenhuma outra Santa a cristandade consagrou tantas igrejas quanto a ela. É também a padroeira dos músicos.

 Santa Cecília, rogai por nós!

Oração – Ó Gloriosa Santa Cecília, espelho de pureza e modelo de esposa cristã! Por aquela fé esclarecida, alcançai-nos o amoroso conhecimento das verdades cristãs para que conformemos a nossa vida com a santa lei de Deus e da sua Igreja

 

 

 

Com São Filémon de Colossos, na atual Turquia, cujo amor a Jesus Cristo foi causa de alegria para São Paulo; juntamente com ele é venerada sua esposa, Santa Ápia