Nunca Nossa Senhora deixará de nos atender

Lembrai-vos, ó piíssima Virgem Maria!


     Já rezaram a oração “Lembrai-vos, ó piíssima Virgem Maria”?

     “Lembrai-vos ó piíssima Virgem Maria (piíssima aí quer dizer misericordiosíssima) que nunca se ouviu dizer (a palavra “nunca” é muito categórica) que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que recorressem à vossa intercessão (quer dizer, ao vosso pedido), reclamasse o vosso auxílio (quer dizer, pedisse o vosso auxílio), fosse por Vós desamparado”.

     Quer dizer, a Igreja Católica existe há perto de 2 mil anos. Durante todo esse período nunca se ouviu dizer que alguma pessoa que pedisse o auxílio d'Ela, fosse desamparado.  Um dos Srs. poderá dizer: “É, mas não eram miseráveis como eu...”.

     A  réplica vem na oração: “Animado eu, pois, com igual confiança, a Vós Virgem das virgens, como minha Mãe recorro (Vós sois a Virgem das virgens, mas sois minha Mãe.  Eu posso ter pecado, mas sou vosso filho!) a Vós recorro, e de Vós me valho (quer dizer, me aproveito de Vós)”.

     Agora vem o ponto mais importante: “E gemendo sob o peso dos meus pecados, me prostro aos vossos pés”.  Quer dizer, a oração está supondo que ela é dita por um pecador.  E que esse pecador é que está pedindo a Ela.  Isso é uma coisa muito importante.

     Então vem o resto: “Não desprezeis as minhas súplicas, oh Mãe do Verbo de Deus humanado, mas dignai-Vos de as ouvir propícia, e de alcançar-me o que Vos rogo”.  Quer dizer, ouvi com ouvidos de Mãe, com ouvidos de bondade, e alcançai-me o que estou pedindo:  a graça da pureza, etc.

     De maneira que nunca, nunca, nunca deixemos de rezar a Nossa Senhora.  Na hora do perigo, peçamos a Nossa Senhora ajuda.  Ela ajuda.  Se cairmos no perigo, peçamos a Ela para nos reerguer.  Ela nos reerguerá.  Mas rezemos a Ela, unamo-nos a Ela, sejamos d'Ela o quanto for possível!  Que Ela terá com­paixão e nos reerguerá!



     Nós, portanto, devemos ter a certeza de que pedindo a Ela qualquer coisa, obterá.

     Pode ser que alguma pessoa peça a Ela alguma coisa que não é para o bem dela mesma. A pessoa pensa que é para seu bem, mas não é. Então Nossa Senhora não dá. Mas dá uma outra coisa que vale mais do que a pessoa mereceria, do que a pessoa está pedindo.

     Mas se nós fizermos uma oração a Ela, uma simples Ave Maria, atendida é! Pode não ser atendida como nós imaginamos. Mas até nisso entra a misericórdia dEla, porque Ela conhece melhor nossas conveniências do que nós conhecemos, Ela dá aquilo que convém para nós. Mesmo que nós estejamos em estado de pecado Ela é assim. Ela tem pena de nós, Ela nos dá graças preciosas para nós nos emendarmos de nossos pecados e brilharmos diante dEla por toda eternidade. Essa é Nossa Senhora.

     Se isso é assim não há razão para não ser calmo, não tem justificação a pessoa ser nervosa e agitada. Por quê? O que é que aconteceu? Se Nossa Senhora é assim e obtém para nós aquilo que é bom para nós, ainda que nós não compreendamos porque é que está acontecendo aquilo, nós devemos querer, devemos estar tranquilos, a nossa Mãe vela por nós.

     Nosso Senhor Jesus Cristo disse isso de um modo lindíssimo, quando disse que não cai um passarinho de uma árvore -- por morto -- ou que não cai um fio de cabelo da cabeça de um homem sem que o Padre Eterno tenha conhecimento e tenha consentido. Vocês podem compreender como Deus vela individualmente por cada um. E aquilo que pode acontecer com uma pessoa pode ser muito triste para a pessoa, mas Deus está querendo, é para o bem da pessoa.

    Quando nós somos tão “atoas” que nossa oração não vale nada, nós devemos estar calmos, tranquilos, dizendo: “Eu me arrependo dos meus pecados, peço perdão, Nossa Senhora vai me ajudar. Se me acontecer uma coisa qualquer agora, aqui, vai ser para o meu bem. O que eu não vou ser é um jovem desanimado.


Voltar